Aproveite a Black Friday e fique longe dos riscos!

Chegou o Black Friday e empresas físicas e sites de vendas de todo Brasil aderiram à campanha. Os descontos chamam a atenção, mas como tomar cuidado com a metade do dobro?

A chamada Black Friday (sexta-feira negra, em tradução livre) é uma tradição nos Estados Unidos e ocorre sempre na última sexta-feira de novembro como forma de renovar os estoques para o Natal. A Black Friday chegou ao Brasil em 2010 e desde então divide opiniões. Muitos consumidores consideram as promoções forjadas e enganosas e acusam as lojas de maquiarem os preços. Aumentam o valor do produto e simulam descontos extravagantes.

Como tomar cuidado com as fraudes, evitar contratempos e não cair em golpes?

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor – Idec, separou algumas dicas para conscientizar os consumidores. Confira:

Planejar é fundamental

Os preços podem até parecer tentadores, mas é importante se planejar para não complicar o orçamento com a Black Friday. Logo depois da data, chega a hora de pagar o IPTU, o IPVA, a matrícula escolar, o plano de saúde. E dessas contas não dá pra se livrar.

Para não gastar mais do que pode, a dica é fazer uma lista de produtos que precisa e que gostaria de comprar. Além disso, tente estabelecer um limite de gastos. Assim, saberá exatamente quanto da sua renda estará comprometida.

Pesquise antes

Novembro mal inicia, e as ofertas já começam a aparecer. Contudo, uma das regras para se dar bem na Black Friday é pesquisar.

Muitas empresas maquiam o preço para que o produto pareça mais barato. Ou seja, sobem o valor na véspera e baixam na data como se fosse uma oferta. Essa prática é considerada publicidade enganosa e o estabelecimento pode ser penalizado.

Há maneiras de evitar esse tipo de prática. Uma delas é visitar sites e lojas diferentes com, pelo menos, duas semanas de antecedência. Pesquise o preço, as condições de venda e as especificações do produto.

Dica: Existem aplicativos que mostram o preço do produto em diversas lojas do Brasil. Facilita na hora de comparar os preços!

Guarde o folheto ou tire um print screen (foto da tela do computador ou celular) com a demonstração do produto, valor, e também com informação do link, nome da empresa, data e hora em que foi feita a pesquisa. Dessa forma, você pode conferir se a oferta realmente foi cumprida.

Alguns sites e os Procons fazem o monitoramento de preço para ajudar os consumidores que não pesquisaram antes. Vale a pena dar uma conferida e checar se o preço que encontrou é realmente o mais vantajoso.

Site seguro

Outro cuidado importante, principalmente se a compra for feita pela internet, é pesquisar a idoneidade da loja.

Certifique-se de que a empresa existe, verificando se possui endereço físico e canal de relacionamento com o consumidor.

O Procon divulgou uma lista com sites que devem ser evitados. Confira:  https://goo.gl/IQDRPL

Também é importante acessar o histórico de reclamações no Procon de seu município e no site consumidor.gov.br, do Ministério da Justiça, para verificar a reputação da loja.

Evite também sites que só aceitam pagamento via boleto, pois além de não passar pela verificação da administradora do cartão, caso haja fraude, não conseguirá reaver o valor pago.

Caso se depare com uma empresa falsa, denuncie ao Procon.

Promoções enviadas por e-mail: tome cuidado

Além disso, preços muito abaixo da média praticada também são indícios de fraude.

Fique de olho!

 

Deixe uma resposta